Header Ads

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Gasogênio no Brasil

 A primeira aparição do gasogenio no Brasil ocorreu nas fundiçoes e mineração la nos meados dos anos 1910, mas ficou por ali mesmo por um longo periodo de tempo até em 1920 ser empregado na geração de eletricidade ( motor antigo movido a gasogenio na geração de energia) e em 1925, numa mensagem ao congresso brasileiro, o presidente Artur Bernardes informou sobre experiências positivas com gasogênios abrindo maiores portas para o Gasogenio.
No fim do ano 1938 foi realizado uma exposição de veículos equipados com gasogênios foi realizada em fins de 1938 e estes fizeram o percurso Rio de Janeiro - São Paulo - Curitiba para mostrar a eficiência do processo, e em 1941 a guerra proporcionou a crise do petróleo, tendo apenas o uso restrito aos militares, e a unica opção da época foi o Gasogênio que teve sua explosão em massa no mundo todo e no Brasil não foi diferente.

Em 28 de Fevereiro de 1939, através de decreto-lei, o presidente Getúlio Vargas criou a CNG (Comissão Nacional do Gasogênio). Novos decretos em 1940,1942,e 1943 regulamentaram a fabricação de gasogênios e incentivaram seu uso em veículos motorizados, no transporte coletivo, máquinas agrícolas, geração elétrica, aplicações estacionárias e semi-estacionárias. Em 1944, num esforço de propaganda, o governo produziu o documentário curta-metragem Nosso amigo, o gasogênio. Várias empresas do país fabricaram estes equipamentos, dentre as quais: São Paulo (de propriedade do piloto Chico Landi), Securit, Laminação Nacional de Metais e Lorenzetti. Com o fim do conflito e a normalização nas importações de petróleo, o Brasil abandonou o uso do gás pobre produzido por gasogênios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Voltar ao topo